Buscador Avanzado

Autor

Tema

Libro de la biblia

* Cita biblica

Idioma

Fecha de Creación (Inicio - Fin)

-

O ÚLTIMO GESTO

Written by
Rate this item
(1 Vote)

Jesus era realista. Sabia que não podia transformar de um dia para o outro aquela sociedade onde via sofrer tanta gente. Não tem poder político nem religioso para provocar uma mudança revolucionária. Apenas a sua palavra, os seus gestos e a sua grande fé no Deus daqueles que sofrem.

Por isso gosta tanto de fazer gestos de bondade. «Abraçar» as crianças da rua para que não se sintam órfãos. «Toca» os leprosos para que não se vejam excluídos das aldeias. «Acolhe» amistosamente à sua mesa pecadores e indesejáveis para que não se sintam desprezados.

Não são gestos convencionais. Nascem da sua vontade de fazer um mundo mais amável e solidário, no qual as pessoas se ajudem e cuidem mutuamente. Não importa que sejam pequenos gestos. Deus leva em conta até o «copo de água» que damos àqueles que têm sede.

Jesus gosta acima de tudo de «abençoar». Abençoa os pequeninos e abençoa acima de tudo os doentes e infelizes. O seu gesto está carregado de fé e amor. Deseja envolver aqueles que mais sofrem com a compaixão, a proteção e a bênção de Deus.

Não admira que, ao narrar a sua despedida, Lucas descreva Jesus levantando as suas mãos e «abençoando» os seus discípulos. É o seu último gesto. Jesus entra no mistério insondável de Deus e os seus seguidores ficam envolvidos na sua bênção.

Há já muito tempo que nos esquecemos, mas a Igreja deve ser no meio do mundo uma fonte de bênção. Num mundo onde é tão frequente «maldizer», condenar, causar dano e denegrir, é mais necessária do que nunca a presença de seguidores de Jesus que saibam «abençoar», procurar o bem, fazer o bem, atrair para o bem...

Uma Igreja fiel a Jesus está chamada a surpreender a sociedade com gestos públicos de bondade, quebrando esquemas e distanciando-se de estratégias, estilos de actuação e linguagens agressivas que nada têm a ver com Jesus, o Profeta que abençoava as pessoas com gestos e palavras de bondade.

 

José Antonio Pagola

 Tradutor: Antonio Manuel Álvarez Pérez

Publicado en www.gruposdejesus.com

Read 65 times
Login to post comments