Buscador Avanzado

Autor

Tema

Libro de la biblia

* Cita biblica

Idioma

Fecha de Creación (Inicio - Fin)

-

CONTRA A INSENSATEZ

Written by
Rate this item
(2 votes)

Lc 12, 13-21

Cada vez conhecemos melhor a situação social e económica que Jesus conheceu na Galileia dos anos trinta. Enquanto nas cidades de Séforis e Tiberíades crescia a riqueza, nas aldeias aumentava a fome e a miséria. Enquanto os camponeses ficavam sem terras, os latifundiários construíram silos e celeiros cada vez maiores.

Numa pequena história, preservada por Lucas, Jesus revela o que pensa dessa situação tão contrária ao projeto desejado por Deus, de um mundo mais humano para todos. Não narra essa parábola apenas para denunciar os abusos e atropelos cometidos pelos latifundiários, mas para desmascarar a insensatez em que vivem.

Um rico proprietário de terras é surpreendido por uma grande colheita. Não sabe como administrar tanta abundância. «Que farei?». O Seu monólogo revela-nos a lógica tola dos poderosos que só vivem para acumular riqueza e bem-estar, excluindo os necessitados do seu horizonte.

O homem rico da parábola planeia a sua vida e toma decisões. Destruirá os antigos celeiros e construirá outros maiores. Armazenará ali toda a sua colheita. Pode acumular bens para muitos anos. De agora em diante, só viverá para desfrutar: «Deita-te, come, bebe e tem uma boa vida». De forma inesperada, Deus interrompe os seus projetos: «Insensato, esta mesma noite, vão exigir a tua vida. O que acumulaste de quem será?».

Este homem rico reduz sua existência a desfrutar da abundância dos seus bens. No centro da sua vida, está ele sozinho e seu bem-estar. Deus está ausente. Os trabalhadores que trabalham as suas terras não existem. As famílias das aldeias que lutam contra a fome não contam. O julgamento de Deus é retumbante: esta vida é apenas tolice e insensatez.

Neste momento, praticamente em todo o mundo aumenta de forma alarmante em todo o mundo a desigualdade. Este é o fato mais sombrio e inumano: «os ricos, especialmente os mais ricos, estão se tornando muito mais ricos, enquanto os pobres, especialmente os mais pobres, estão se tornando muito mais pobres» (Zygmunt Bauman).

Este acontecimento não é normal. É, simplesmente, a última consequência da insensatez mais grave que os humanos estão cometendo: substituir a cooperação amistosa, a solidariedade e a busca do bem comum de toda a Humanidade pela competição, rivalidade e a acumulação de bens nas mãos dos homens. mais poderosos do planeta.

Desde a Igreja de Jesus, presente em toda a Terra, deveria escutar-se o clamor dos seus seguidores contra tanta insensatez e a reação contra o modelo que guia hoje a história humana. Assim o está fazendo, repetidamente o papa Francisco.

 

José Antonio Pagola

 Tradutor: Antonio Manuel Álvarez Perez

Publicado en www.gruposdejesus.com

Read 200 times
Login to post comments